terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Funciona mais ou menos assim:

Você acorda se veste e se arruma então se cerca de enfeites e de contra tempos e então você calado forja gestos que não seus, procurando encher de lugares comuns o teu cinza, encher tua pele de outras peles para que te notem por qualquer coisa que não seja sua imensa incapacidade de se adaptar aos outros e suas cores comuns e seus lugares em chamas. Então você toca seu rosto procurando entre seus princípios de rugas algo que explique porque tudo aquilo que cativas teu olhar te evita em fuga alucinada desde que se entende por gente, então se recolhe aos cantos das festas e se abraça ao que sobra, as putas e seus martinis em taças tão grandes que poderiam facilmente ser usadas para mergulho de suicidas, então você volta sozinho ou com alguma companhia que nem mereceria uma historia entre os colegas de trabalho, você então levanta, balança o pênis algumas vezes, acha a camisinha usada e agradece pela bebida não ter te custado uma criança indesejada por agora. Daí em diante será apenas o espaço de cinco dias para que voltes a cena do espelho, e continue eternamente procurando o ponto apodrecido, a ruga que te denuncia como maldito, alguma marca que explique tudo. Então você não acha, se perfuma e sai...

Funciona mais ou menos assim.

Um comentário:

Fel de gilete disse...

....Você só tem dezessete.